Entrevista com Lolla, da Winner

Hoje temos uma convidada especial no blog da Troika falando sobre teaching for exams: Lorenza Aildasani! A Lorenza é diretora executiva da Winner, uma escola de idiomas em São Paulo que oferece cursos de inglês personalizados, de alto padrão, individuais ou em pequenos grupos, além de ser reconhecida no mercado de ELT como aplicadora de exames internacionais (Cambridge, Toefl, etc.). A Winner é parceira da Troika há 3 anos, além de cliente da nossa Membership institucional. Convidamos a Lolla para um bate papo sobre a Winner, certificações internacionais e mercado ELT. Quer saber como ser um examiner? Vem conferir!

Troika: Conta um pouco pra gente sobre a história da Winner, como você começou a empreender? Você planejou trabalhar com certificações desde o início?

Lolla: Todos os meus relatos sobre a Winner são carregados de muita paixão, porque é isso que nos move (paixão pela educação!). Tá aí uma boa definição (rsssss)!!! Somos um centro de educação!!! É isso! Existe, é claro, uma descrição técnica da empresa Winner, pois isso é o que nos permite conviver em uma sociedade corporativa, tendo visibilidade e fazendo, dessa forma, com que nossos serviços cheguem a quem precisa. Mas nossa história é muito similar à de tantos outros professores de inglês, pessoas que têm um ideal: melhorar o ensino de idiomas e, para isso, precisam ter a autonomia necessária! Dessa forma, acabam tornando-se empreendedores. Compartilho cada sonho do teacher empreendedor, cada desafio (e, vocês bem sabem, são inúmeros)!

E, em determinado momento, nosso perfil de instituição exclusivamente ELT deu uma reviravolta e passamos a atuar também como centro de certificações. Falo no plural porque são vários exames/instituições: somos Platinum Centre de Cambridge Assessment English, Michigan Language Assessment, IELTS e TOEFL e etc. Temos uma marca (quase um vício!): somos 100% focados em customização de serviços e, consequentemente, oferecemos um atendimento de excelência.

Você deve estar se perguntando: “é possível adaptar o produto “certificações”?!! Algo cercado de regras e procedimentos tão rigorosos?!!” E eu afirmo que sim! Você tem o poder de adaptar seus serviços a indivíduos e/ou situações: é só querer! É só fazer com paixão ...! Dá um trabalhão, viu? Mas com paixão, você chega lá!

Foi como nos tornamos, em 2009, e a convite do Depto. de Assessment da universidade, um Centro Platinum de Cambridge Assessment English. Os exames existiam há quase um século no Brasil e aí a Winner entra em campo. Me lembro de ouvir comentários como: “ah, é só uma “escolinha”!” E aí a gente identificou que as escolas tinham uma grande necessidade: ter os exames em seus endereços. Aí, implementamos isso e fizemos as aplicações acontecerem na própria escola e/ou empresa e, em nível nacional.

Pouco tempo depois nossos colegas (demais centros) adotaram a mesma postura e, hoje, constatamos com felicidade que alunos de todo o país têm muito mais conforto e segurança ao realizarem os exames dentro da escola (isso traz muita confiança para quem está realizando uma prova)!

Foi difícil, enfrentamos muita desconfiança do mercado, comentários tóxicos e, alguns deles, até preconceituosos. Mas, no final das contas, valeu o esforço, pois conseguimos alterar (para melhor!) o serviço de certificações no Brasil.

Hoje, ouvimos relatos da Winner como sendo uma referência em certificações, com um atendimento de excelência e números surpreendentes. Bem, falam mesmo muita coisa boa da Winner e sou grata por isso!

Mas, na real, vou te contar o que a Winner realmente é: somos o sonho de uma professora de melhorar o ensino de inglês no país. O desejo de ver professores de inglês capacitados e certificados. Sim, porque a certificação (seja qual for!) ajuda o teacher a melhorar o seu Inglês e, ainda, a demonstrar suas habilidades para o mundo!

Troika: Como você avalia o mercado de exames nos próximos anos, com a criação das Diretrizes Curriculares para a Educação Plurilíngue (que pede certificações B2 para professores dessas escolas)?

Lolla: É certo que o Brasil terá um “boom” na procura por exames e, analisando a situação como centro aplicador, o cenário parece realmente promissor. No entanto, como educadora, chamo a atenção para a necessidade de um programa de preparo para esses profissionais, algo que os ajude a entender o que é uma certificação internacional, como se preparar, processo de inscrição, prazos e etc. Você não se prepara para um exame do dia para a noite! Isso leva tempo e dedicação, e é realmente um processo. Precisamos ajudar essas pessoas desde já, caso contrário, precisaremos lidar com o desespero e frustração de nossos colegas que, por sua vez, terão muita dificuldade para se firmar no mercado.

Acredito que este processo poderia ser iniciado nas universidades. Pelo menos, as informações iniciais. É comum nos depararmos com estudantes de Letras, recém formados, que só ouvem falar de certificações internacionais quando precisam prestar alguma prova. Essas pessoas geralmente dispõem de pouco tempo de preparo e, aí, a falta de orientação cobra seu preço!

Troika: Como os professores podem se tornar aplicadores de exames de Cambridge (examiners)?

Lolla: Todos os examinadores devem “meet the minimum professional requirements (MPRs) of the role”, que são:

• Education to first degree level or equivalent;

• A recognised language teaching qualification;

• Proof of substantial, relevant, teaching experience within the last 2 to 3 years, ideally equivalent to, at least, 1800 hours. A recognised teaching certification.

Preenchendo esses requisitos, o profissional deve procurar um centro aplicador e se candidatar. Fará uma entrevista oral com nossa team leader e aí inicia o treinamento para se tornar examinador.

Troika: Quais são os desafios de ser um centro aplicador?

Lolla: Costumo falar muito sobre três desafios:

1 – Saber como se adequar às necessidades do (a) candidato (a) ou da escola e, ainda sim, cumprir todas as regras internacionais de segurança. O cliente e/ou candidato (a) não pode perceber a pressão do momento. Em determinados exames, somos avaliados em mais de quarenta itens de segurança. Mas nossa equipe sorri e se esforça para oferecer ao candidato a melhor experiência possível naquela situação.

2 – Auxiliar na implementação de uma política de cultura de certificações no país. O brasileiro é um povo extremamente criativo e flexível. E, às vezes, em uma situação de exame, nos assustamos com algumas regras e procedimentos. Quando dizemos “time is over” significa que o tempo do paper realmente acabou. E, neste momento, não podemos ceder a pedidos como, como exemplo: “pera aí”, “Ah não!!! Só mais um pouquinho”, “Só mais um minutinho”, e por aí vai ...!

3 – Lidar com as oscilações do dólar. Imagine comprar em dólar e vender em valor fixo em real....

Troika: Sabemos que a pandemia trouxe um cenário bem complicado para diversas empresas. Como isso afetou a Winner?

Lolla: Eu tenho uma frase, que é praticamente um mantra: “Tudo dá certo no reino de Winner”. Sim, eu sei… nem sempre tudo dá certo! Adversidades acontecem. Mas quando o clima tá tenso, essa frase ajuda minha equipe a focar no positivo. Pensar positivamente é um treino. Praticamos isso na Winner há 18 anos. E dá certo! Acredite! Rsss.

Mas, respondendo à pergunta:

Vou focar nos pontos positivos:

  1. Nunca estivemos tão próximos de nossos clientes e parceiros. Mesmo sem contato físico.

  2. Nunca tivemos tanto material de apoio ao professor (tanto para aulas regulares, quanto para preparo de exames). E tudo isso gratuito! Cambridge Assessment English & Cambridge University Press reuniram uma série de recursos gratuitos em um só lugar e chamaram esta página de Cambridge Together: https://cambridgetogether.org/ Michigan Language Assessment também disponibilizou uma série de recursos: https://michiganassessment.org/resources/?fwp_tests=met

E muitas outras instituições também disponibilizaram recursos.

Troika: Que mensagem você deixaria para professores que têm interesse em trabalhar com exames?

Lolla: Estude! Dedique-se! Você pode! E com certeza Você faz a diferença! As certificações são o caminho mais seguro para elevarmos o nível de inglês no país.

Troika: A Winner assinou a Membership Institucional da Troika no início do ano. Na sua opinião, quais são as maiores vantagens? Você sente que seus professores se beneficiam com isso?