dom., 21 de jun. | Online Course

Negritude e branquitude: reflexão e diálogo na ocupação de espaços | Online |

A roda tem conversa tem como objetivo colocar em pauta a importância do reconhecimento de uma representativade negra na sala de aula, em atividades utilizadas, vídeos, coursebooks, materiais autênticos e debates.
A inscrição está fechada
Negritude e branquitude: reflexão e diálogo na ocupação  de espaços | Online |

Horário e local

21 de jun. de 2020 14:00 – 17:00
Online Course

Sobre o evento

A roda tem conversa tem como objetivo colocar em pauta a importância do reconhecimento de uma representativade negra na sala de aula, em atividades utilizadas, vídeos, coursebooks, materiais autênticos e debates.

Os mediadores da roda de conversa serão: 

Tamires   Gama trabalha com o ensino de Língua Inglesa há 10 anos e vem se dedicando ao ensino online desde 2016. Formada em Letras -Português e Inglês pela   Universidade de São paulo (USP), também possui certificações pela   Universidade de Cambridge (CPE e CELTA) e pela Universidade de Anaheim na   Califórnia (TESOL).  Desde 2018 trabalha com aulas exclusivamente online   em sua empresa, Simplifica Soluções. Tamires é palestrante e se dedica a   capacitação de professores online desde Maio de 2019. Já palestrou pelo Braz   Tesol em Ribeirão Preto, Curitiba, Espírito Santo; no BRELT on the Road em   Brasília e no Segundo Encontro de pós graduação de Língua Inglesa e Espanhola   organizado pela CULT Estácio.Foi tutora do curso Online Teaching - a survival   guide na Troika e também foi responsável por pela capacitação de professores   durante transição do modo presencial para o online em escolas de programas   bilíngue, regulares e institutos de idioma. Atualmente se dedica ao estudo de   metodologias EAD e a mais uma certificação de Cambridge, o DELTA.

Cintia Ribeiro da Rocha é mestranda em Estudos Comparados das Literaturas de Língua Portuguesa. Bacharel e licenciada em Letras pela mesma universidade (2010). Foi bolsista FIPSE/CAPES do programa de intercâmbio Raça, Desenvolvimento e Desigualdade Social - Howard University, Washington D.C., (2009). É pós-graduada em Ensino de Língua Portuguesa e Literatura pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). É certificada pela Cambridge University (Certificate in Teaching English to Speakers of Other Languages) que compreende componentes linguísticos e pedagógicos para professores de língua inglesa. Trabalhou como educadora bilíngue e posteriormente assistente de desenvolvimento institucional no Museu Afro Brasil. Recebeu financiamento da American Alliance of Museums para coordenar o projeto A Journey Through the African Diaspora em uma parceria entre o Museu Afro Brasil e Prince George´s African American Museum and Cultural Center (EUA-Maryland). Foi coordenadora do projeto Literatura Negra e Oral: Um Tesouro Ancestral - PROAC Bibliotecas. Trabalhou em escolas internacionais como assistente de ensino em língua inglesa. Atualmente é IB PYP and MYP Portuguese Teacher na St. Nicholas School.

Guilherme Ramalho é bacharel em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda Pela Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL), e mestrando do curso de Governança Global e Formulação de Políticas Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo ( PUC). Integra desde 2018 o ProMigra, grupo de Pesquisa e Extensão Universitária da Faculdade de Direito da USP(FDUSP) que trabalha na conscientização e implementação de políticas públicas para a população migrante na cidade de São Paulo. Atualmente trabalha como educador no Museu da Imigração do Estado de São Paulo.

Anita de Souza Lazarim Possui bacharelado e licenciatura em história pela UNICAMP. Mestre em história pelo Departamento de História da EFLCH-UNIFESP. Sua pesquisa de mestrado, financiada pela FAPESP, intitulada "Rotinas do cárcere: uma história social da Casa de Detenção da Corte entre 1856 e 1889", estuda como essa prisão participava de dinâmicas de controle social e como isso foi vivenciado pela população escravizada e livre que ali foi encarcerada. Foi membro-fundadora da Revista Hydra, periódico discente do Programa de Pós-graduação em História da UNIFESP, integrando o Conselho Editorial. Tem experiência na área de História Social, com ênfase no Brasil Império, história das prisões no Brasil, história do crime e escravidão. Atualmente é educadora do Museu Afro Brasil, realizando ações de mediação de exposições, pesquisas, cursos, oficinas e outras atividades educativas.

Quando? 21 de junho de 2020 -  das14:00 às 17:00 (UTC-3) 

 

Quanto? Free

Idioma? Português

Ingressos
Preço
Qtd
Total
  • Negritude e branquitude
    R$0
    R$0
    0
    R$0
TotalR$0

Compartilhe este evento